MED no júri da Startup Europe Accelerathon Euroregion Alentejo-Algarve-Andalucia para os desafios Covid-19 e as alterações climáticas

Abr 5, 2021

O webinar “Accelerathon Espanha-Portugal 2021”, realizou-se no passado dia 9 de março, e oficializou o lançamento do Accelerathon Spain-Portugal, da Startup Europe, um programa de inovação aberto implementado pela Fundação Finnova. Este visa a procura de soluções inovadoras para os desafios do combate ao Covid-19 e às alterações climáticas na Euro-região Alentejo-Algarve-Andaluzia (Euro-region AAA). O evento contou com a presença de quatro representantes de instituições europeias, portuguesas e andaluzas, dez especialistas e cinco empresários.

Este webinar serviu ainda de fórum para incentivar a cooperação, a busca de novos talentos, e a aposta em ideias inovadoras no combate às alterações climáticas e no Covid-19, tendo sido cofinanciado pelo Ministério da Presidência, Administração Pública e Interna da Junta de Andaluzia. Abordou-se a diversidade de desafios de inovação e cooperação contra as alterações climáticas, o passaporte europeu de saúde, o Euro Digital Green Pass, bem como os desafios enfrentados por Espanha e Portugal no contexto da atual pandemia.

O MED esteve representado no Accelerathon Espanha-Portugal 2021 por Nuno Guiomar, que integrará o júri responsável pela avaliação das propostas apresentadas. Nas suas intervenções, Nuno Guiomar, focou-se nas abordagens inovadoras empreendidas no projeto transfronteiriço CILIFO – Centro Ibérico de Investigação e Combate aos Incêndios Florestais e reforçou o apelo de um conjunto de cientistas sobre a urgência de uma mudança de paradigma nas políticas de prevenção de incêndios rurais, no sentido de se avaliarem os resultados da sua aplicação em função dos efeitos do fogo e não da área ardida. Explicou que, na sua opinião, um processo de inovação não deverá implicar um produto físico, e que face o desafio proposto as mudanças de paradigma requerem inovações disruptivas ao nível dos processos envolvendo todos os atores de modo a que se reflitam na paisagem.

No projeto CILIFO foi definida uma estratégia de investigação que incluiu quatro grandes cenários de ação “em que priorizámos a investigação aplicada, onde incluímos ações em todas as fases do ciclo de gestão de incêndios para criar bases que permitam cobrir lacunas de conhecimento e promover ações de planeamento baseadas na evidência”, explicou Nuno. Este defende perentoriamente uma urgente mudança de paradigma nas políticas, de modo a medir-se o sucesso das mesmas em função dos efeitos do fogo e não da área ardida ou do número de incêndios.