Investigador do MED-UÉvora em colaboração com a EDIA identifica abrigo de morcegos de importância nacional

Mar 17, 2022

Ao fim de quatro anos de investigação, Paulo Marques, Sara Valente e Noémi Santiago (espeleólogos da EDIA), com a colaboração de Tiago Marques (Investigador do MED na Universidade de Évora) conseguiram confirmar e identificar um abrigo de morcegos-de-ferradura-mourisco (Rhinolophus mehelyi) em Barrancos, que pode ser o maior e mais importante do género em Portugal, registando mais de dois mil indivíduos.

O morcego-de-ferradura-mourisco tem um estatuto de conservação muito desfavorável em Portugal, estando descrito como criticamente em perigo (CR) no “Livro Vermelho dos Mamíferos de Portugal Continental” e no “Atlas dos Morcegos de Portugal Continental”. É uma espécie quase exclusivamente cavernícola, abrigando-se sobretudo em grutas e minas abandonadas. Devido à escassez de abrigos, com as condições e características de que necessitam, é muito frequente a aglomeração destes morcegos num número reduzido de locais, pelo que a perturbação ou alteração das condições de um único abrigo pode comprometer uma enorme percentagem de indivíduos desta espécie.

O abrigo situa-se na Herdade da Coitadinha, Parque de Natureza de Noudar em Barrancos. Esta identificação surgiu durante os trabalhos desenvolvidos no âmbito do apoio que a EDIA tem prestado ao Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas, ICNF, na monitorização dos abrigos de morcegos de importância nacional que se localizam na área do Empreendimento de Fins Múltiplos do Alqueva, EFMA, e suas áreas limítrofes, apoio que se tem vindo a realizar desde 2007, fazendo a avaliação de mais sete abrigos com esta classificação. Apenas em 2022 e durante o período de hibernação dos morcegos (inverno), se conseguiu o acesso à colónia de morcegos.

Adaptado de Comunicado de Imprensa emitido pela EDIA