A perigosa descida do nível das águas subterrâneas | Artigo assinado por investigadores do MED

Mar 4, 2021

Apesar da abundância da chuva no início deste ano e das barragens estarem perto da sua capacidade máxima, não é sinónimo que ocorra máxima infiltração da água das chuvas no solo.

Os Investigadores Mário de Carvalho, Ricardo Serralheiro, Teresa Pinto Correia e Miguel Bastos Araújo (Instituto Mediterrâneo para a Agricultura, o Ambiente e o Desenvolvimento – Universidade de Évora), António Chambel (Instituto de Ciências da Terra – Universidade de Évora) e João Ferrão (Instituto de Ciências Sociais – Universidade de Lisboa) juntaram-se para escrever um artigo de opinião onde expressam as suas preocupações relativamente à diminuição da disponibilidade de recursos hídricos subterrâneos.

Os investigadores reforçam que é urgente “estudar a dinâmica de recarga, monitorizar a captação de águas subterrâneas e analisar os efeitos desta no desenvolvimento sustentável do território português” e que é  necessário “mobilizar profissionais de águas subterrâneas, gestores de recursos hídricos, engenheiros de rega, agrónomos e ecólogos, para que, em conjunto, identifiquem respostas eficientes de governança e gestão transectoriais que permitam melhorar a sustentabilidade dos recursos hídricos. De entre os vários riscos, a escassez de água doce é, certamente, o mais crítico de todos para o futuro da humanidade e da vida no planeta.”

Ler o artigo no Jornal Expresso aqui.